Sunday, March 30, 2014

Primavera com Vincent Van Gogh




Vincent Van Gogh Self-Portrait in Front of the Easel
January 1888, Oil on canvas, 
Van Gogh Museum, Amsterdam

Tempo de Primavera ? Nem por isso. Não se sente nada. E menos se vê. Noites frias, dias brumosos, desconfortáveis. A Primavera teima em não chegar.

Como se não bastasse, a mudança da hora! Põe qualquer um baratinado, e durante mais de uma semana, até o nosso ritmo biológico voltar a estabilizar.

Impossível dar um bom passeio ao ar livre, Mellhor ficar por aqui, Sento-me então ao computador

Procurando algo que transmtisse luz, sol, calor, deparei-me com o Van Gogh Museum. Gosto de passar pelos sites de museus ou pelas redes sociais onde publicam as novidades. Inteiro-me de exposições temporárias e outros acontecimentos. Foi então que li que hoje era aniversário de Van Gogh.

Vincent Van Gogh, pintor pós-impressionista, nasceu em 30 Março 1853 em Zundert, Holanda. Ora cá está ! A luz, o sol, as cores que busco. Ums dos meus pintores mais apreciados

Adoro pintura ! Pois, eu sei ! E adoro música. E literatura. Adoro dançaBem, adoro tudo o que tem a ver com Artes e Humanidades. Voilà !



Orchard with Blossoming Apricot Trees (The Pink Orchard), 
March 1888. Oil on canvas,
Vincent Van Gogh


Voltemos, no entanto, a Van GoghÉ sabido que todos os grandes artistas, pintores, músicos, poetas, são almas torturadas, dadas às grandes interrrogações estéticas e filosóficas sobre o mundo.

Mas Van Gogh foi talvez aquele que expôs mails esse seu lado frágil, de imensa sensibilidade, como se sentisse desamado, embora tão grande angústia existencial não se pressinta assim tanto na maior parte das suas telas. Só nos auto-retratos.

Sim, a grande colecção de auto-retratos que nos legou, são já por si uma mensagem. A maior mensagem do eu, Vincent Van Gogh.

Não conheço, ou pelo menos não lembro, um pintor que se autoretratasse com tanta frequência. É só dar uma vista de olhos pela galeria de auto-retratos do Van Gogh Museum



 Almond blossom, 1890, Van Gogh Museum, Amsterdam
Vincent Van Gogh

Mas não vim aqui para escrever sobre esse seu lado torturado. Vim sim, partilhar este seu lado lindo, quase naïf, esfuziante de cores, que nos deixa estáticos, serenos, olhando suas telas com alegria, muito afecto, tentando encontrar nas telas, janelas abertas para a Primavera que não vem.



Vincent van Gogh (1853-1890), Sunset at Montmajour, 1888.

Entretanto, lá está ! Encontrei um vídeo excelente. Como sabem, embora admire muito a arte clássica, a minha sensibilidade entende-se melhor com o contemporâneo, por vezes até com a remistura (remix) dos dois lados da mesma estética.

video deixou-me agradavelmente surpreendida. Uma lufada de frescura, nestas actividades, pintura, música, tecnologias, entre outras, às sexta-feiras / Friday Night no Van Gogh Museum.


"Every Friday the Van Gogh Museum is open until 10 pm with a packed programme. Did you know that every first Friday of the month the museum organizes a grand event?"

Espaços onde se cruzam novos conceitos de arte me encantam. A arte não é estática. Há que convir! E os museus ganharam um novo lugar.



credits : Van Gogh Museum

Curtinho. Mas muito convidativo. Se voltar a Amesterdão, tentarei passar uma noite de sexta-feira pelo Van Gogh Museum. Perfeitamente convencida. Epero que vos tenha agradado tanto como me agradou.

E por fim, para os apreciadores de apps (aplicações), deixo então a app #TouchVanGogh que vos vai encantar. Lançada no final do ano 2013, gratuita, disponível para IOS (Apple) e Android (Google).


"Explore what's hidden under the paint of Van Gogh's masterpieces. The English app for tablets 'Touch Van Gogh - What paintings can reveal' is now available in app stores."




E assim passamos uma tarde de domingo bem mais luminosa do que aquela que se faz sentir lá fora. Entretanto, caiu a noite.


"I dream of painting and then I paint my dream."

Vincent Van Gogh

G-S

30,03.2014
Copyright © 2014-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 

8 comments:

heretico said...

pintar os sonhos... com o amarelo dos girassóis.

didática e sensível. sempre

beijo

João Roque said...

Um dos maiores pintores de todos os tempos.

Lilá(s) said...

Tenho um fraquinho por Van Gogh, já visitei o museu duas vezes e quando voltar a Amsterdam lá estarei novamente... adorei a postagem!
Bjs

aflores said...

Depois de ler o que por aqui foi partilhado, só posso acrescentar... Primavera, volta e fica por aqui uns tempos.

:)))))))

Tudo de bom.

G- Souto said...

... muito inspirador teu comentário, 'Herético' !

Temos que pintar de amarelo, de azul, de todas as cores nosso pensamento, já que a Primavera, por aqui, continua cinza...

Beijo

G- Souto said...

Sem dúvida, João ! E como tão atormentado, pintava a alegria das cores !

G- Souto said...

So do I... so do I, Lilá(s) !

Pois, estou como tu, quando voltar a Amesterdam, quero rever Van Gogh !

Feliz, por saber que te agradou a postagem!

Beijos

G- Souto said...

Não há outra hipótese, se não refugiarmo-nos na pintura para ter um pouco de Primavera na nossa cidade :-(

Tudo de bom, 'aflores'