Wednesday, August 19, 2009

Fim de tarde em Serralves






Parque de Serralves
http://www.serralves.com

"Serralves é uma referência singular no património da paisagem em Portugal, sintetizando e simbolizando uma aprendizagem e um conhecimento das condições de transformação do território, no espaço e no tempo, num contexto cultural: Portugal e os séculos XIX e XX."

Fundação Serralves

De volta à cidade, seduziu-me a ideia de um final de tarde cultural, num ambiente bem paradisíaco: Serralves!

Meu santuário de serenos prazeres! Ler, aspirar o silêncio, encher meus olhos daqueles tons de verde matizados que tanto suavizam alguns dos dias do ano mais stressantes.
Procuro Serralves para me por em paz com a cidade barulhenta, confusa e cada vez mais bárbara.

Mas não só! Junto outro aspecto que muito me atrai! A arte! Digamos que fruo no mesmo espaço de duas contemplações estéticas!
A arte da paisagem e a arte dos espaços por onde prepassa sempre uma aragem contemporânea da arte que se vai recriando a nível mundial.

Nem sempre estou em consonância com o que vejo. Mas, pelo menos, aprecio as tendências actuais e discirno entre as provocações e o que me agrada profundamente! 


Um 'banho de arte' é sempre um banho de arte! É como partir para um país em busca de um 'banho de língua'.
Regressa-se sempre mais enriquecido.


Bem, mas estava a discorrer que fugi dos lugares buliçosos onde as pessoas se concentram, para plena agonia de uma citadina pacata, e dirigi-me a Serralves em busca de serenidade e com um programa previamente estudado: duas exposições!

Serralves - A Colecção
Daniel Buren Livros e outras Publicações





Daniel Buren : Livros e outras publicações

Serralves 2009 
https://www.serralves.pt/

"Esta exposição da Colecção da Fundação de Serralves apresenta um balanço do trabalho desenvolvido com o acervo ao longo desta última década. Ocupando todo o Museu e o Parque, esta exposição apresenta obras maiores, representativas quer do núcleo histórico da Colecção (abrangente das décadas de 60 e de 70) quer das constelações de artistas identificáveis no acervo desde a década de 80 até à actualidade."

Fundação de Serralves

Devo dizer que a exposição me atraía pela visibilidade dada a algumas obras que até então não eram conhecidas do público. Esperava portanto poder admirar algumas das novidades do acervo do Centro de Arte Contemporânea.

Eram mais ou menos dezassete horas e trinta minutos quando aparquei perto da entrada. Peguei num dos livros que sempre me acompanham e dirigi-me com tranquilidade à Recepção.

Dois colaboradores de Serralves, vestidos de negro, comodamente sentados, olhavam as poucas pessoas que entravam. Aliás, apenas um jovem casal de língua inglesa e eu acabávamos de passar o limiar da porta. Estranho, pensei.


Um deles, solícito, levantou-se para acolher o par de turistas, por sinal bem interessado, enquanto o outro, permaneceu sentado, já que tinha diante de si uma 'turista' nacional!








Daniel Buren : Livros e outras publicações
Serralves 2009 

"Tanto nas suas intervenções destinadas a um espaço específico como nos seus livros, Daniel Buren cria obras in situ. Nos seus trabalhos usa tiras coloridas de 8,7 centímetros de largura, unidade a que chama a sua “ferramenta”. Os seus livros, obras completamente independentes, podem conter textos ou “fotografias-recordações”. [...] A recente aquisição pelo museu de Du vélum au volume e Passages, duas das suas obras/publicações mais importantes, tornou a colecção da Biblioteca Serralves uma das mais completas no que toca a livros de Daniel Buren."

Fundação de Serralves

Livros! E cá estou eu de volta desses objectos de culto que são para mim os livros! Esse constante encantamento que me acompanha! 

Ora, como estão a ver, o meu final de tarde cultural era promissor! Já antevia com agrado novas paisagens no meu universo estético-literário!

Pedi então um ingresso ao colaborador que permanecia bem sentado. Este olhou para mim com aquele ar que todos conhecemos e respondeu-me secamente que as exposições se encontravam encerradas.


Perguntei qual o motivo. Piorou. Aí disse, com o tal ar de superior provincianismo, que as mesmas encerravam às dezassete horas e que se bem reparara já eram dezoito horas.

Atónita olhei-o e olhei em volta. Será que me tinha enganado no espaço? Será que me encontrava numa daquelas instituições de serviços aos utentes?


Como se a minha incredulidade tivesse a ver com a não compreensão da sua 'complexa' mensagem, agastado, propunha-se repeti-la!! Cortei com um obrigadagra gracioso. 

O casal inglês e eu entreolhámo-nos, sem compreender muito bem! Um museu que se quer contemporâneo e onde se busca arte contemporânea, em horário não contemporâneo? E em pleno mês de Agosto?


O olhar fugiu-me para outras paisagens. Um passeio, ao princípio da noite,  em Roma, depois de três dias de intenso trabalho. Saíra agora sim à descoberta de algumas das artérias mais interessantes da cidade, nas poucas horas que me restavam, antes do voo de regresso. 





Scalinata della Trinità dei Monti/ Roma
créditos: Autor não identificado

Em plena Via Condotti, junto à belíssima 
Scalinata della Trinità dei Monti que dá sobre a Piazza di Spagna, lojas, cafés, galerias de arte, e até a Chiesa della Ss.Trinità dei Monti, onde me acolhi por instantes, tudo estavam aberto ao público! Eram vinte horas. Assim se mantiveram, mesmo quando abandonei o centro da cidade e me dirigi para o hotel. Divagava.


Bom! Mas voltemos a Serralves. O casal viu-se na parca escolha de um apressado passeio pelo Parque. Um dos mais belos sítios da cidade para ser visitado com tempo e tranquilidade. 


Eu subi à agradável esplanada, no primeiro piso. Parece poisada na paisagem, disposta a saborear os últimos raios de sol da tarde, lendo um pouco. Felizmente que trouxera comigo o livro.

Mas, para má fortuna, o local estava cheio e barulhento! É óbvio! Voltei ao interior, e escolhi um espacinho bem colado ao verde que se desfruta da enorme janela rectangular, rasgada sobre o verde do Parque, situada no Restaurante. Pedi um café e reabri o livro. 






Restaurante piso superior/ Serralves
créditos: Serralves

Entre a paisagem natural e a as páginas que percorria, meu olhar passeou-se sereno, naquele final de tarde que se abatia lentamente sobre o parque de Serralves. Lindíssimo, o entardecer!

Permaneci ainda alguns largos minutos, até que desci para passar pela Livraria. Um espaço sempre bonito porque coberto de livros!

Aí se podem apreciar algumas das principais publicações de Serralves e outras edições que tanto agradam aos que gostam destas coisas ligadas à arte e aos livros.




Livraria de Serralves
http://www.serralves.com

Vazia! Aprestava-me a olhar cuidadosamente alguns livros, quando fui informada que todos os espaços encerravam às dezanove horas! Dezanove horas? Hora comercial.

Sem comentar, saí e dirigi-me para o portão. Não sem antes pegar no 'Jornal Serralves' para, finalmente, fruir da minha tarde cultural, lendo-o!


Logo na página 2 estava escrito:

No ano em que se comemoram os 20 anos da criação da Fundação de Serralves (1989) os 10 anos da inauguração do Museu de Arte Contemporânea de Serralves (1999), o Museu apresenta a sua Colecção (...)

(transcrição)


Serralves, número 23, Jul/Set 2009, página 2, 1º parágrafo (início)

Será este o melhor caminho para os celebrar? Questionei-me. 


G-S

Fragmentos Culturais

19.08.2009
Copyright © 2009-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 



13 comments:

Isamar said...

Claro que com este horário não serão de certo as comemorações que nós,os que gostamos desse espaço e de outros semelhantes, desejamos.A cultura não pode ter horário comercial.Não haverá possibilidade de o alargar com a compensação pecuniária a que os funcionários têm direito?

Mais um post cheio de tudo como gosto.

Bem-hajas, amiga!

Beijinhos

Avelaneira Florida said...

FRAGMENTOS,

"estamos em Portugal!"...mesmo em Serralves!!!


Infelizmente neste cantinho dito "à beira-mar plantado" a consciência cultural nem sempre é a melhor...

Mas, apesar de todos os "acidentes" ainda bem que o final de tarde foi glorioso!!!!

E, de repente,dá vontade de ir procurar essa serenidade e esse verde da mãe natureza!!!!

"Brigados" por mais esta partilha.

Luis F said...

Gostei muito de visitar este espaço... foi uma descoberta agradável.

PArabéns

Luis

heretico said...

deliciosa descrição. imagina(m)-se a(s)cena(s)...

há já algum tempo que não visito Serralves. vai sendo tempo - a tua "mostra" abriu o apetite...

beijo

aflores said...

Posso dizer, que também já passei pela experiência de "um agradável dia em Serralves" igual ao teu.

Prometi a mim mesmo, que enquanto me lembrar desse "fantástico momento", não voltarei lá.

Verifico que é mais importante para a cidade, ter bares(?)abertos até as 6 da manhã.

Enfim...políticas culturais.

Tudo de bom;)

Fragmentos Culturais said...

Olá 'Isamar'

Confesso que fui 'apanhada de surpresa'! Serralves é um ponto de cruzamento de muitos visitantes: nacionais e internacionais como é óbvio e merecido!

O mês de Agosto na cidade é imensamente pobre em termos de ofertas culturais. Deste modo, fica mais difícil!


Não sei qual a 'política' de contenção de Serralves... mas que assim não alicia, não!

Um beijo,
... sensibilizada pelo olhar amistoso!

Fragmentos Culturais said...

... como tenho que te dar razão, 'Avelaneira'!! Portugal é mesmo assim :(

E, no entanto, museus oficiais e bem mais tradicionais estão abrindo portas à noite, em Lisboa! Como se faz em muitas cidades, em outros países!

Consciência cultural pode 'aprender-se'!
E os que já a têm, vêem-se 'naufragados' no marasmo... neste mês de Agosto.

Verdade! Contra tudo e todos, o final de tarde foi bem sereno naquele 'banho' de verde, entre as páginas de um livro!

Sensibilizada pela 'presença' amiga em 'fragmentos'!

Excelente fim-de-semana!
Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

Foi um prazer tê-lo no meu espaço, 'Luis F.' !
Gostaria que voltasse...

Sensibilizada pela 'presença' delicada!

Fragmentos Culturais said...

... será que foi uma 'crónica' tão pictórica assim ;)
Pode[m] mesmo imaginar-se, a[s] cena[s]!

É tempo de voltares a Serralves, 'Herético'! Afinal, é um espaço lindíssimo!

Um beijo
... sempre atento e amistoso! Sensibilizada!

Fragmentos Culturais said...

... também, 'aflores'!?
Não é bom para Serralves! É que já há muitas pessoas a terem este 'tipo de experiência'! E a simpatia não está a primar por parte de uns tantos dos seus colaboradores...

Afinal, trata-se de uma 'Fundação'! Convenhamos...

Lembro que a 'Casa da Música' passou por momentos semelhantes! Mas está agora muito mais sensível ao público que a frequenta! E isso cai bem! São espaços de cultura!


Quanto aos horários dos bares, nem comento... embora compreenda que têm que haver espaços para todo o tipo de gostos.

Tudo de bom para ti também!
Um excelente fim-de-semana que se apresenta promissor :)
Afinal, o verão chegou...

Lilá(s) said...

Agradável passeio este que fiz por aqui, voltarei.
bjs

Fragmentos Culturais said...

... ainda bem, 'Lilá(s)! Espero voltar a lê-la!
Foi um prazer!

Um beijo,

Å®t Øf £övë said...

Serralves é realmente um local encantador, mas está em Portugal... nunca nos podemos esquecer disso, e Portugal está sempre de costas voltadas para a arte e as letras... infelizmente. É este o País que temos...
Bjo.